UM BLOG PARA INFORMAR, DESMISTIFICAR E PRINCIPALMENTE FAZER RIR! PORQUE RIR É O MELHOR REMÉDIO E É DE GRAÇA! www.facebook.com/kianevaleria
Image and video hosting by TinyPic,

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Historinhas Fantasiosas I

As pessoas fazem um alvoroço tão grande, colocam a imaginação para funcionar de uma forma tão exagerada, que acho mesmo que acreditam no que estão dizendo. E mais, quando veem que a 'máscara' caiu, nem se importam com a mentira que contaram, como se o 190 fosse um telefone para se falar o que quiser, um número para desabafar, falar mal do vizinho, do marido, saber telefone do postinho de saúde, perguntar a hora... e por aí vai.
Não sabem e nem querem saber, da grandeza que o 190 representa para o bem estar da sociedade, da força que tem, e do males que podem causar ocupando com 'picuinhas', uma linha tão importante.
Bom, uma mulher ligou dizendo que um desconhecido, um homem forte, mal vestido, muito mal encarado, "uma coisa mais horrorosa do mundo", estava tentando arrombar seu portão.
Pediu urgência, porque estava sozinha e havia se trancado dentro de casa, de tanto medo.
Perguntei o endereço e enquanto ela passava, escutei uma voz masculina ao fundo, falando com ela. Nesse instante ela parou de falar comigo e respondeu, ainda com o aparelho do telefone perto da boca, porque ouvi nitidamente: "Não vai não, Antenor!"
Perguntei quem era Antenor, ela disse que era seu irmão. Mas que eu mandasse a viatura logo, parasse de ficar perguntando demais, porque o até então horroroso desconhecido, estava tentando arrombar seu portão. (Ué, ela não estava sozinha?)
Continuei com os procedimentos, no que ela falou novamente com alguém, dessa vez eu não conseguia ouvir o que a outra pessoa dizia: "... Esse molequinho é seu irmão?... Ah, então você vai levar ele... Porque eu já estava chamando a polícia..."
Ela voltou a falar comigo e disse que a vizinha tinha vindo encontrar-se com ela em seu portão, avisando que aquele "molequinho" era seu irmão e que tinha problemas mentais, e que não iria mais jogar bola em seu muro. (Ué, ela não estava trancada dentro de casa e o desconhecido não era um homem forte, mal vestido, muito mal encarado, uma coisa mais horrorosa do mundo, que tentava arrombar seu portão?)
O que aconteceu a seguir é o que sempre acontece, dispensou o atendimento, alguns agradecem, outros apenas desligam o telefone; esta agradeceu.
Enfim, esse tipo de ligação é muito frequente, porque fazem questão de que o 'autor' os vejam ligando pra polícia, só ligam por intimidação mesmo.
As pessoas criam umas historinhas mirabolantes, porque é muito mais fácil transferir seus problemas de relacionamentos com vizinhos, familiares, até a criação dos próprios filhos à polícia, e acham que a obrigação é mesmo da polícia de resolver. Se acham as maiores vítimas do mundo, com a certeza de que o atendente tem a obrigação de ouvir todas aquelas mentiras, sem reclamar, como um i-d-i-o-t-a.
No caso desta mulher, ela ocupou um telefone de emergência, porque uma criança a estava incomodando com sua bola.
Tem base?

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Pulou a Cerca e Ficou Sem a TV

Realmente tem umas ligações que são no mínimo cômicas. É o caso de uma que recebi de um homem, que queria a televisão de volta.
Mas antes, gostaria de enfatizar que a maioria dos homens, dependendo do que lhes aconteceu, primeiro rodeiam muito, até chegar no verdadeiro acontecimento, penso que por vergonha de se expor para uma mulher, no caso eu. Isso é um fato.
Aconteceu mais ou menos assim: Ele ligou dizendo que uma pessoa guardou um objeto e não queria devolver. Perguntei que objeto, quem pegou, onde, enfim, que ele fosse mais claro.
Disse-me, que uma pessoa pegou uma televisão, que ele havia comprado e não queria devolver. Achei que essa história parecia mais coisa de casal, quando estão se separando.
Perguntei então o que essa pessoa era dele. Ele me disse que nada, que nem conhecia, que apenas havia pedido para que fosse guardado a TV, e essa pessoa a tinha escondido debaixo da cama, se recusando a devolver. Ô dificuldade.
Já quase sem paciência, quase! Disse-lhe que era no mínimo estranho pedir para um desconhecido, guardar qualquer objeto seu. Que ele fosse o mais breve e direto, porque se ficasse enrolando, teria que encerrar a ligação, pelo simples fato de que o 190 é um número para emergências.
Acho que surtiu efeito, ele resolveu se abrir, pelo menos parcialmente. Disse que havia estado em uma casa de programas e enquanto foi ao quarto com uma das 'moças' que trabalha no local, pediu a ela que guardasse a TV. O que foi feito, ela guardou embaixo da cama e não quis mais devolver, alegando ter sido presenteada por ele.
Mas é claro que a história era muito mais complexa.
Achei engraçado e pensei mesmo que tivesse sido um presente, que ele teria dado, num momento de embriaguez, ou de 'fortes emoções', e agora estaria arrependido, e a queria de volta.
Ele disse que só se estivesse doido, para dar uma televisão que havia comprado para sua família, para uma prostituta. (Mas, não mencionando a palavra esposa em momento algum). Acho que pelo fato de que, apesar de eu ser uma policial militar, ainda sou uma mulher, isso inibe a maioria dos homens de falarem de suas 'puladas de cerca'.
Então, como quem não queria nada, perguntei se foi como forma de pagamento pelo 'programa'.
Daí a minha surpresa, ele resolveu 'soltar os cachorros' de vez, disse que era isso mesmo, mas que nesse caso, foi ela quem ficou devendo, porque os 'serviços prestados' à ele não foram satisfatórios...
Mereço mesmo.

domingo, 19 de julho de 2009

Recordista em Ligações Noturnas

A campeã de ligações noturnas é sem dúvida o tal do som alto (poluição sonora), causados por uma festa no vizinho ao lado, no bar da esquina, na praça por vândalos, carros estacionados com som ligado, e por aí vai.
Geralmente todas as ligações começam assim; uma pessoa que está incomodada com o barulho causado por um 'som alto', liga no 190. Dizendo que ele tem que trabalhar no outro dia cedo, que tem criança pequena, e que não estão conseguindo dormir.
Respondo que poluição sonora é uma atribuição da AMMA, (agência municipal do meio ambiente) e passo o número 161, para que ligue, porque além de ser o órgão competente, eles possuem o aparelho que medem os decibéis permitidos.
Não sei se por preguiça, descrédito em outros órgãos públicos, ou sei lá o que, mas as pessoas tem resistência em ligar no 161, então, começam a mesma ladainha, inerentes a quase todos nessa situação. Dizem que além do som estar insuportável, ainda supoem que estejam usando drogas, e que há menores bebendo, e isso é a polícia quem tem que resolver.
Se mostram indignados de terem que ligar em outro número, como se a polícia estivesse sendo negligente, em não adentrar uma festa particular, revistar todo mundo, e mandar abaixar o som, como se fossem eles os incomodados, e não a pessoa que ligou para denunciar.
E fica, o solicitante do outro lado da linha "tentando" me convencer de que eu estou errada, que a polícia tem que ir sim, garantir uma boa noite de sono a ele. (Na verdade, quando uma pessoa liga, denunciando que está havendo uso de drogas numa festa, está pouco se lixando pra isso, o que o incomoda é o barulho causado por eles. E diz indignado: "...tem menores bebendo, é um absurdo a polícia permitir isso..." Engana a si próprio, porque nada disso o está incomodando, nada faz para denunciar ou ajudar em outra ocasião, somente quando o barulho está demais, e não quer ter o trabalho de ligar na AMMA, ter que gerar um protocolo e se identificar, porque aí complica, ninguém quer ser identificado, querem fazer as coisas na surdina. Só querem se livrar do problema, jogando a responsabilidade na polícia, que é 'obrigada' porque eles pagam nossos salários, com os impostos). Esquecendo-se totalmente da legalidade, embora em alguns casos o bom senso deve prevalecer, com certeza.
Enfim, trabalhamos de acordo com as Leis.
Então explico que perturbação do sossego público não é um crime, e sim uma contravenção penal, que para ser enviado uma viatura ao local, tem que haver mais de uma pessoa incomodada, e encaminhá-las para uma delegacia, para que seja efetuado um boletim de ocorrência, formalizando a infração causada pelo vizinho do lado, que insiste em tomar umas cervejinhas e altear o som, perturbando assim a paz dos outros.
Quando digo isso, tudo muda de figura, ninguém quer ir para uma delegacia, tão pouco se identificar e ficar mal com o vizinho, então alguns dizem que a polícia é que não quer trabalhar mesmo (o que será que eu estava fazendo, o atendendo de madrugada?), outros, que vão me denunciar na corregedoria, porque é mais fácil descarregar a raiva em cima de alguém que não se está vendo, de jogar a responsabilidade na polícia, porque essa já está 'acostumada' a levar nome de violenta, corrupta e preguiçosa (ligar 161 era muito mais rápido), outros dizem que vão lá na festa e descarregar um revólver no vizinho (então porque não recebe a viatura e resolvem na delegacia, porque se ele atirar no vizinho, vai parar em uma mesmo?). Ô povo nervoso!

Contravenção Penal, prevista no Dec Lei 3688/41 (Lei das Contravenções Penais) no Art 42 inciso III: "Perturbar alguém, o trabalho ou sossego alheios, abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos".
Pena - prisão simples de 15 dias a tres meses ou multa.
Portanto você deve ir a uma Delegacia Policial e noticiar a ocorrência da Infração Penal, munido de duas testemunhas.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Pedofilia - DENUNCIE disque 100

Ainda que para a medicina a pedofilia seja uma doença, para a justiça é crime, que deve ser denunciado e punido.
Pedofilia é o ato ou a fantasia de ter contato sexual com crianças em idade pré-pubertária (13 anos ou menos).
Para ser pedófilo, o agressor tem que ter mais de 16 anos e 5 anos mais velho que a vítima.
Quem procura material pornográfico com crianças também deve ser inserido neste contexto.

CPI da Pedofilia
http://www.todoscontraapedofilia.com.br/
Safernet (Combate à pornografia infantil na internet no Brasil)
http://www.safernet.org.br/

Violência Sem Fim

Há algum tempo atrás, ao começar o serviço logo de manhã, recebi uma ligação, de uma pessoa que dizia ter encontrado um veículo queimado, num terreno ermo, em um bairro afastado e quase desabitado. Peguei a localização mais ou menos, mesmo porque no meio do mato não tem endereço, e sim pontos de referência.
Mandamos a viatura; era um veículo totalmente carbonizado, com um corpo no mesmo estado. A Polícia Técnica e o IML também estiveram no local, constataram o óbito e que era o corpo de uma mulher.
Passados alguns dias, a bomba, tratava-se de uma moça de 23 anos, cujo marido não aceitando a separação, havia contratado dois homens para sequestrá-la e logo após executá-la. Quando esta já estava em poder dos dois matadores, não satisfeito, o ex marido ainda exigiu que os dois a estuprassem, o que foi feito, e logo em seguida a executaram com tiros.
Colocaram seu corpo dentro do veículo e atearam fogo. Isso tudo sendo supervisionado pelo marido de perto.

Não sei onde vai acabar essa violência descabida, é inaceitável que ainda exista, nos tempos de hoje, aquela ideia patriarcal, na qual a mulher é propriedade do homem, sendo esse o dono da sua vida ou de sua morte.
Lei Maria da Penha N° 11.340 de 22/09/2006
http://www.planalto.gov.br/CCIVIL/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11340.htm
Sites com informes sobre violência e, principalmente, violência doméstica.
http://www.adital.com.br/site/noticia2.asp?lang=PT&cod=23778

domingo, 12 de julho de 2009

Vândalos Colocam Fogo Em Padaria


Vandalismo

Marginais fazem coisas odiosas mesmo, certa noite atearam fogo num monte de lenha, que estavam na frente de uma panificadora.
Colocando em risco não só a vida das pessoas, que ali trabalhavam a madrugada toda, como também aos vizinhos próximos. Foi um desespero, porque queimou toda a fiação elétrica, atingiu o lado de dentro, sem contar com o prejuízo enorme.
Simplesmente não sabem o quanto é duro passar noites em claro, trabalhando e, tão pouco se importam com vidas alheias, são covardes.

Veja o Vídeo (feito por um morador):

video

Pipa Com Cerol

Atendi uma moça que estava chorando, parecia realmente assustada e não era para menos, afinal ela passou muito perto da morte.
Relatou que era motociclista e ao trafegar, de repente foi surpreendida por algo cortante, na altura do pescoço.
Logo percebeu que era linha com 'cerol', diminuiu a velocidade drasticamente, um veículo vinha logo atrás, teve que frear para não colidirem. Ela parou a moto e pôde ver o que tinha acontecido, havia um corte no pescoço, que não era muito profundo, ainda bem. O motorista do carro, veio ao seu encontro, acredito que para brigar com ela, mas vendo a real situação, sequer se prontificou a ajudar e se foi.
Ela então, notando que não era grave seu ferimento, se dirigiu até sua casa que é próxima e ligou 190.
Mandamos a viatura ao local, para ser feito o registro de lesão corporal.
Infelizmente algumas crianças não podem contar com acompanhamento dos pais, brincando com vidas alheias, às vezes nem sabem do risco que podem estar causando; enfim, pipa com cerol é uma arma letal, e faz vítimas todos os dias.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Pit Bull

Uma criança ligou e parecia indecisa se queria falar.
Vi que era um telefone fixo, então perguntei o que tinha acontecido, ela respondeu que eles tinham um cachorro pit bull e que esse tinha mordido sua irmã no pescoço.
Estava sangrando muito, mas que ela já tinha ligado para seu pai e este estava a caminho.
Perguntei o endereço, e se era necessário o corpo de bombeiros, ela chorando disse que não, que sua irmã não queria ambulância. Mesmo assim, registrei a ocorrência de lesão corporal e enviei a viatura de polícia militar e a dos bombeiros.
Ela me implorou para que eu mandasse a polícia matar o cachorro, pediu: "Você não entende, tem que matar ele, por favor..." falou quase sussurrando.
Falei que se acalmasse, que já estavam a caminho. Ela agradeceu e desligou.
Mais tarde, verifiquei o resumo do fato, realmente tinha uma mocinha ferida no pescoço, provocado por mordida de pit bull, mas era um ferimento leve, ainda bem. E que o pai da mesma é quem a levou ao hospital, e aquela menina que ligou, era totalmente desconhecida da família, eles não sabiam quem havia ligado para o 190, estranharam esse fato, já que se tratava de uma criança, e lá não havia outra criança.
Mistérios...

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Racismo Não!

Nascemos todos iguais... sem nenhuma distinção, (de muita ou pouca cor,) uma única raça, a HUMANA!

Penhorado No Motel

Um homem ligou e foi logo despejando, que queria deixar o celular para pagar, mas que não estavam querendo aceitar...
Tive que frear sua fala para pelo menos tentar entender; falei: Calma, calma, comece do começo!
Então ele disse que estava com seu companheiro num motel, e que seu cartão do banco não funcionou, que estava querendo deixar o celular penhorado, mas que não estavam querendo aceitá-lo como forma de pagamento. O que é fácil de entender.
Então perguntei porque ele então não pedia para o seu companheiro sair e ir buscar o dinheiro, enquanto ele ficava lá aguardando, como se ele mesmo estivesse penhorado.
Ele concordou e até perguntou porque não tinha pensado nisso antes.
Disse que iria fazer isso.
Desligou.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Tomou Veneno Com Cerveja

Um senhor ligou na emergência do 190, dizendo que tinha tomado veneno misturado com cerveja. Perguntei qual era o veneno e ele disse que era um para matar cupim.
Indaguei seu nome e onde estava, foi então que me passou seu nome e endereço. Também perguntei o que ele queria da polícia militar. Ele me falou que tinha arrependido, porque parecia que a cerveja tinha cortado o efeito do veneno e ele estava com medo de ficar com sequelas.
Falei para não se preocupar, porque eu iria enviar a viatura até ele.
Ele me perguntou se os policiais não íam judiar dele. Acho que estava com medo de sofrer algum tipo de represália.
Falei que os policiais não, mas que no hospital sim, porque seria feito uma lavagem estomacal, e não era nada bom... Ele ficou calado, então falei para aguardar que estaríamos enviando. Desliguei, e passei os dados para os bombeiros.

Os Absurdos Que Se Ouve no 190 - Parte II

De todos os absurdos que se ouve no 190, o recordista é: Criança ligando de orelhão e mandando a gente ir tomar no c... (literalmente). Demonstrando total falta de respeito com a polícia e de educação principalmente. Às vezes quando ligam de suas casas, de telefones fixos, ainda retorno para falar com os pais, esses ficam indignados... com a polícia!
Em segundo lugar são aquelas mulheres "vítimas" de seus maridos ou companheiros, que ligam somente para intimidar o homem, quando as atendo, parecem até que todas decoraram o mesmo texto: "É da polícia? Manda uma viatura aqui, porque tem um sem vergonha aqui me agredindo!
E fala pra ele; tô ligando, e volta ao telefone: tá vindo né, então tá... vem mesmo, porque esse vagabundo aqui não põe nada em casa e só sabe me agredir.
Isso, eu do outro lado, perguntando o endereço e ela sequer está me escutando, somente fala comigo, como se eu já soubesse onde é sua casa, só mesmo para ele ver que ela está chamando a viatura. "Então tá, já tá vindo né, manda mesmo pra pegar esse vagabundo..." e desliga.
Ou seja, ocupam uma linha do 190 pra insinuar que estavam chamando a polícia para que os seus algozes sintam medo.
Acho que é isso, porque elas não querem ficar livre deles ou das agressões, querem somente demonstrar que também tem poderes sobre o homem, usando a polícia, usando o fato de serem mulheres, protegidas por serem o 'sexo frágil', o que é uma grande burrice delas pensarem assim. Porque trabalhar cansa, e apesar deles as agredirem, alguns ainda são quem sustentam a casa.

Os Absurdos Que Se Ouve no 190 - Parte I

Atendi uma mulher que dizia o seguinte; que seu ex marido a estava prejudicando em seu local de trabalho, que não a deixava em paz, a vigiava o tempo todo, seguia, ameaçava por onde ela estivesse, enfim, era um inferno! Já estava para ser mandada embora do serviço por conta disso.
Perguntei se ela já o havia denunciado alguma vez na Delegacia da Mulher, ela disse que nunca e que jamais faria isso, afinal era ele quem sustentava suas filhas.
Perguntei se ele estava lá naquele momento a ameaçando, e se ela queria uma viatura. Me disse que ele estava sim, mas queria a viatura somente para ficar parada lá, olhando para ele, só isso.
Não era para abordá-lo, não era para chamá-la, porque ela não iria denunciá-lo.
Era tão somente para parar a viatura no local e ficar olhando para ele, como uma intimidação dos policiais contra ele, mas que ela não teria nada com isso, como se não soubesse de nada...
Que era dever da polícia fazer isso, porque ela pagava seus impostos.
O incrível foi que ela ficou brava e bateu o telefone na minha cara, quando eu falei que era um absurdo o que ela pedia.

Inimigo Íntimo



Eram quase 22 horas, uma mulher ligou no 190, pedindo orientação sobre o que fazer. Começou dizendo que trabalha fora e deixa sua filha de pouco mais de 2 anos com uma babá, sua vizinha. Nesse dia, a filha reclamou de ardência na "perereca", ela achando que a menina estaria com assaduras, foi dar um banho para depois passar uma pomada. Ao cair água na genitália dela, essa gritou de dor, então ela notou que estava machucada e perguntou o que tinha acontecido, a menina em sua inocência disse que o "vovô tinha enfiado o dedo na perereca"...
O vovô era o marido da babá, onde ela deixava todos os dias sua filha, para ir trabalhar e só buscava a noite.
Ela me disse que foi até a casa da mesma e, essa disse que o marido tinha mesmo umas manias estranhas, e que já respondia processo por coisas do tipo. Ela voltou horrorizada sem saber o que fazer, então resolveu ligar 190, foi quando eu atendi.
Às vezes algumas situações são muito difíceis de lidar, a vontade de fazer justiça com as próprias mãos é grande. Mas, sou policial militar, fiz o que tinha que ser feito no momento, e não o que realmente tinha vontade.
O procedimentio correto seria fazer a denúncia na DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e o Adolescente), mas como a polícia civil estava em greve, eu disse que enviaria uma viatura até sua residência, para que pelo menos pudesse ser feito o exame de Corpo de Delito na menor.
O que foi feito. Não sei o que ocorreu após isso, só sei que demorou mais de 3 horas para que a viatura retornasse.

Esses Ex's

Às vezes, as pessoas ligam para desabafar. Aliás, muitas vezes...
Uma moça ligou no 190, dizendo que o pai de seu filho, ainda não o havia trago de volta, e já se passavam das 21 horas. Eles já estavam separados há mais de 6 anos, o filho já tinha 8.
Ela tem a guarda da criança e o pai o pega nas sextas-feiras depois das 18 horas, e tem que devolver no domingo até as 20 horas. E quando ela ía até lá buscá-lo, sua ex sogra a agredia verbalmente.
Disse ainda que ele viajou com a criança sem avisar, e que já havia ligado no celular dele várias vezes e que o mesmo o desligou na sua cara.
Falei que em alguns casos, as pessoas tem que ter uma dose maior de paciência e, que nem tinha passado tanto tempo assim, que ela tivesse um pouco mais de jogo de cintura, porque tem coisas na vida que temos que abrir mão, para que a convivência seja no mínimo tolerável.
Mesmo porque, se está especificado na ordem judicial, que ele pode ficar com o filho nos finais de semana, então eles poderiam inclusive viajar nesse período, que estava tudo certo.
Ela continuou dizendo que ele sempre faz isso, nunca cumpre com horários, faz ameaças, do tipo que vai pedir a guarda, estão sempre discutindo por alguma coisa.
O pai do menino está casado novamente, já tem inclusive uma outra filha, mas que insiste em aterrorizá-la, com a possibilidade de tomar a criança judicialmente, já que o mesmo tem muitas posses.
Falei que era realmente um caso complexo, que a melhor forma de resolver era, não sendo tão rigorosa com horários, nem com os dias de visita, afinal ele é o pai, e como ela também tem o direito de conviver com o filho, embora, eu achasse que ele fazia isso, apenas para irritá-la e pelo jeito estava tendo sucesso.
O que ela tinha mesmo que verificar era o melhor para a criança, que essas 'picuinhas', só causavam transtornos e desgastes para todos da família, principalmente para o menino.
Que ela deixasse o filho passar mais tempo com o pai, porque por mais que toda mãe tenha medo de perder o amor de seu filho, isso não aconteceria, seu lugar na vida dele estava garantido para sempre.
Que não ficasse ligando tanto assim, afinal seu filho estava sendo bem tratado, que deixasse o pai fazer o papel dele e se concentrasse em sua própria vida, independente do que o ex fosse pensar ou dizer, o importante era estar em paz com sua família, porque queira ou não, suas vidas estavam ligadas para sempre.
Acho que ela entendeu o recado, agradeceu e disse que esperaria até a segunda-feira, que nossa conversa tinha sido muito proveitosa, porque realmente ela estava sendo muito imatura, aliás, ambos, e que já estava cansada de viver assim.

Até Hoje Não Descobri o Que Ela Queria...

Atendi uma mulher que ligou de um orelhão, dizendo que ía se matar.
Perguntei como pretendia fazer aquilo, ela me disse que tinha uma arma em casa e iria dar um tiro na cabeça.
Fiquei imaginando porque alguém que tem uma arma, tem intenção de se matar, sai de casa, vai até um orelhão para para avisar a polícia que vai fazer aquilo.
Então falei: Ah então você tem um arma, que interessante... sabia que eu também tenho?
Ela respondeu: É claro né, que você tem, você é policial! -É verdade, respondi, sou policial, por isso tenho arma, e você, porque também tem uma arma em casa?
Ela se desconcertou toda, não sabia o que me responder e enrolou tudo; começou falar que sua vida toda tinha sido um erro, que era usuária de drogas e que não conseguia deixar o vício, que tinha três filhos, que seu marido não estava mais suportando viver com ela, que havia passado a manhã toda cheirando pó, enquanto lavava as roupas. Que sentia muita vergonha de ser quem era... falou muito.
Quando enfim descarregou toda sua vida em um minuto; falei que vergonha ela tinha que sentir mesmo, porque pensar em se matar deixando três crianças sem mãe, era realmente muito vergonhoso; quanto a ser usuária de drogas, que poderia estar procurando ajuda em alguma clínica de recuperação para dependentes químicos, porque sozinha é muito difícil largar o vício.
De repente ela surtou, disse que eu estava rastreando sua ligação e que devia estar enviando uma viatura pro local.
Eu disse que não havia motivos para prendê-la, a não ser pela posse ilegal de arma, que ela disse que tinha em casa, porém, pra quem estava prestes a se matar, nada poderia ser pior, que ela não se preocupasse, que a cadeia, por pior que ela fosse, ainda era melhor do que morrer.
Não sei o que ela pensou naquele momento, mas desligou. Nunca fiquei sabendo de nenhum suicídio por aqueles lados. E eu, até hoje não descobri o que ela realmente queria...

Foi Comprar Gelo e Nunca Mais Voltou

Eram quase meia noite, uma senhora liga pro 190, querendo saber se havia ocorrido algum acidente nas proximidades de sua casa.
Porque seu amigo tinha saído para comprar gelo e ainda não tinha voltado. Peguntei se ele estava a pé, carro, etc...
Ela disse que de carro, que tinham jantado e ele havia saído fazia mais de duas hora. Verifiquei no sistema e pude ver que não tinha ocorrido acidente algum naquela região.
Ela parecia querer me dizer algo mais, ou quem sabe desabafar. Entendi o recado e falei que poderia ser mais direta, assim talvez eu pudesse ajudá-la.
Então ela despejou, disse que se conheciam há mais de 20 anos, que ele era daqueles solteirões que nunca vão se casar, que estavam jantando na casa dela, de repente deu uma vontade nele de sair para comprar gelo, e não voltou mais.
Que ela tentou inúmeras vezes ligar em seu celular e estava desligado. Então achei melhor falar o que ela já sabia, mas precisava ouvir de alguém.
Disse que algumas pessoas são assim mesmo, tem dificuldades em se relacionar e que talvez tenha sido até melhor assim.
Ela me pediu para que eu ligasse no celular dela, caso ficasse sabendo de alguma coisa. Não sei bem se era isso que ela queria ou se talvez conversar um pouco mais, pois ela sabia que não podia ocupar uma linha tão diputada do 190 para desabafar.
Falei que infelizmente eu não poderia fazer aquilo. Que ela ficasse tranquila, nada demais tinha acontecido, apenas coisas da vida e que ela sendo uma pessoa vivida, já deveria esperar por situações assim, que o melhor a fazer, era levantar a cabeça, sacudir a poeira e bola pra frente, nada é mais importante na vida de uma mulher do que ela mesma...

Uma Brilhante Investigação

Numa tarde, o COPOM recebeu várias ligações de uma mesma família, que diziam que seu irmão, recém saído da prisão estava rondando a casa deles.
Atendi uma dessas ligações, de uma irmã desse rapaz, ela dizia que o mesmo a estava ameaçando, porque tinha saído da cadeia e não tinha onde ficar, e que na noite anterior tinha praticado um roubo na casa de uma senhora idosa, numa cidade próxima daqui e que a havia esfaqueado.
Por isso precisava de um lugar para se esconder. Falei com o rádio operador, para que enviasse uma viatura até o local, para que fizesse uma ronda, já que a irmã havia passado todas as características dele, inclusive o nome completo, não estava difícil de identificá-lo.
O rádio operador parecia meio cansado, porque não fez muita questão de repassar esses dados para a viatura, mas eu insisti... então, ele pra se ver livre de mim, "puxou" os antecedentes do suspeito e constatou que não havia mandado de prisão contra o mesmo; foi o que ele me disse.
Novamente falei que ele não poderia mesmo ter mandado de prisão, já que tinha saído do presídio há dois dias e estava com o alvará de soltura, segundo a família.
Mas seria possível que ele pelo menos verificasse, se havia acontecido algum crime na cidade citada na noite anterior, contra uma senhora idosa?
E infelizmente houve um latrocínio, um roubo seguido de morte por esfaqueamento, de uma senhora de mais de 80 anos. Após essa constatação a viatura foi enviada e finalmente o encontrou, ele não reagiu, parecia dopado, estava rindo.
Feito a detenção do mesmo, foi levado até o COPOM para esperar a viatura do interior ir buscá-lo. Ele confessou que havia mesmo esfaqueado a senhora, mas não sabia que ela havia morrido.
Embora ela tenha ficado sozinha a noite toda, perdendo sangue...
Dois dias depois vejo num jornal local, a notícia de que foi feito a prisão de um latrocida, que havia esfaqueado covardemente uma senhora idosa, que veio a óbito.
E que tinha sido um brilhante serviço de investigação da Polícia Civil!

Esses Jovens de Hoje

Numa noite, me ligou um rapaz que dizia que iria matar a mãe e depois se matar. Perguntei como ele iria fazer aquilo, ele disse que ía usar um revólver.
Olhei pra bina e vi que era um telefone fixo, provavelmente de sua própria casa. Perguntei pela mãe e ele me disse que ela estava trabalhando, fui perguntado outras coisas e ele respondendo; disse que tinha 18 anos, que a mãe o maltratava, o chamando de vagabundo o tempo todo, porque ele não trabalhava e andava com más companias.
Quando ele parou de falar, eu disse que ela tinha toda razão de o tratar assim, que ele realmente era um vagabundo, que tinha 18 anos e era ele quem devia estar trabalhando aquela hora da noite e não a sua mãe.
Que se ela disse que suas companias eram ruins, devia muito bem saber o que estava falando, e que o pelo número do telefone dele, eu já sabia onde ele se encontrava. E, que se algo acontecesse com a mãe dele após essa ligação, ele seria o principal suspeito, e também seria preso por posse ilegal de arma.
A reação dele foi imediata, disse que não era bem aquilo que ele queria fazer não, que sua mãe tinha mesmo razão, que no outro dia iria procurar serviço, que seus amigos eram "malas" mesmo, que nunca teve arma na vida, etc etc...
Dei por encerrada a ligação. Nunca houve nenhum homicídio e nem suicídio naquele endereço...
Ainda bem!

O Criminoso Sempre Volta à Cena do Crime

Certa manhã, recebo uma ligação de que foi encontrada, por populares, o corpo de uma menina de aproximadamente 13 anos.
Ela estava nua e com sinais de violência sexual, num matagal, dentro de um bairro residencial. A viatura constatou o fato...
Enquanto aguardavam a chegada do IML e da Polícia Técnica, foram juntando curiosos. E, nesse meio tempo, recebo mais uma ligação a respeito desse crime; uma mulher disse que na noite anterior havia visto essa mocinha seguindo rumo ao matagal com um vizinho, e que o mesmo estava lá, "aguardando" a chegada do IML juntamente com os outros curiosos; disse também que ele usava uma camiseta do Flamengo e fez a sua descrição, o que não foi difícil de identificá-lo pelos policiais ali presentes.
Feito a detenção do suspeito para averiguação, descobriu-se ser ele vizinho da menina e o autor do crime. Cara de pau...

Ouvi Um Estupro Pelo Celular da Vítima

Acontecem cada coisa inusitada num plantão do 190, que até o diabo duvida!
Uma vez ligou uma moça, de um celular, dizendo que alguém estava tentando arrombar sua porta.
Ela conseguiu passar o endereço, e nada mais, o invasor entrou e ela deixou o celular ligado em algum lugar perto deles, porque se conseguia ouvir tudo o que estava acontecendo lá. Foi uma experiência terrível, ouvir alguém que estava sendo violentada, ouvi gritos abafados...
Enfim, a viatura chegou, tiveram que pular o muro, a porta já estava arrombada, eles entraram, flagraram um homem estuprando a mulher, exatamente quando ele estava consumando o crime.
O autor foi levado pra fora, passaram-se alguns minutos, de repente choveu ligações no 190, dizendo que policiais em uma viatura estavam espancando covardemente um homem na rua... (aquele mesmo, que arrombou e porta e estava estuprando a mulher).
Bom, ele foi levado para a Delegacia o resto eu procuro não saber, que é pra não me envolver e nem me deixar corromper ou enlouquecer com toda essa violência descabida que presencio diariamente.